Um espaço italianinho e maluco
Segunda-feira, 23 de Junho de 2008
Diferença entre Jus Solis (França) e Jus Sanguinis (Itália).

As estatísticas do meu blogue dão também dados acerca das keywords, isto é , as palavras procuradas que deram por resultado visitas no meu blogue. Muitos visitadores acabaram no meu blogue italianinho a procura de informações acerca das regras de atribuição da nacionalidade italiana, pelos vistos meio mundo sonha com um passaporte italiano.

Podem continuar sonhando, o passaportinho italiano é muito esclusivinho, não é para todos ! Não é uma coisa barata como um passaporte francês ou um passaporte argentino, livrinhos que se podem obter bem mais facilmente. A Argentina é uma terra imensa com uma densidade de pessoas muito baixinha, então precisava de "Argentinos", a França é um pais cheio de complexos de inferioridade com a Inglaterra e também precisavas de "Franceses".

E assim há países, como a Argentina ou a França, que muito facilmente concedem a nacionalidade, são os países em que a nacionalidade está baseada no "Jus Solis", o que em latim quer dizer "Direito da terra". Em que consiste o Jus Solis? É muito simples : o facto de nascer naquela terrinha é motivo suficiente para obter a nacionalidade. E assim a França fabrica "Franceses", pois todos os que nascem em França, de qualquer raça sejam, só por terem nascido na França são Franceses. Mas isto é bom ou é mau? Para um imigrado é óptimo! Porquê? Porque os filhos desse imigrado, nascidos em França, seriam automaticamente  Franceses. Então o conselho que dou a todos esses que têm a mania de imigrarem na Itália é: Imigrem antes na França! E deixem aos seus filhos nascidos na França todas as possibilidades e os direitos dos cidadãos franceses. Não se esqueçam que a França tem um óptimo serviço de assistência medica publico, o melhor no mundo segundo a Organização mundial da saúde. Então esquece logo tudo acerca de imigrares na Itália e tenta imigrar na França! Então para os imigrados isso do Jus Solis é sem duvida um negocio! Mas...e para os Franceses...quer dizer...esses mesmo franceses-franceses...branquinhos...que não se dão muito bem com o sabonete e preferem utilizar perfume para cobrirem os cheiros em vez que lavarem-se...esses que falam inglês mas fingem não saberem porque na França os turistas hão de falarem francês...esses tipos ai...sim..os franceses....então para eles é um bom negocio o Jus Solis? Não sei, isso é com eles...só sei que até os romenos gozam com eles e fazem pouco deles! Como assim? Os romenos , esses ciganos a fazerem pouco dos franceses? Pois! Isso mesmo! Até os romenos gozam com eles! Olhem, é assim: na selecção francesa de futebol de 23 jogadores 16 são de origem africana, muitos deles mesmo pretos, mas são "franceses", claro, o Jus Solis, pois, nasceram na França, portanto são franceses. Debaixo da foto da selecção francesa, com 16 africanos em 23 jogadores, os romenos, que sabem ser muito mauzinhos mesmo escreveram : "BEM-VINDOS NA EUROPA !" .

Eu nem gosto dos romenos mas dessa vez achei a piada mesmo engraçada! Abre o youtube e olha para uma foto da selecção "francesa" de futebol....ali de francês só mesmo as escritas dos sponsors nas camisolas.

E agora a Itália. A Itália não têm o Jus Solis e sim tem o Jus sanguinis, o direito do sangue, o facto de se nascer na Itália, por si não diz nada, se tu és por exemplo chinês, e a tua esposa é angolana e o vosso filho nasce na Itália, nos os Italianos nem sabemos o que a criança é, isso é convosco, se a criança será chinesa ou angolana, mas com certeza não é italiana. Para se ser italiano não chega nascer na Itália, é preciso ter sangue italiano nas veias. Portanto a nacionalidade italiana vem dos teus pais, não vem da terra. Por esta razão na selecção italiana há jogadores branquinhos, com sangue italiano, e até há o Camoranesi, que nasceu e cresceu na Argentina, mas como o apelido dele diz, tem sangue italiano no corpo. Se tu nasceste algures no mundo mas tens um apelido italiano e podes mostrar que o teu avô ou o teu bisavô nasceu na Itália e era cidadão italiano, então tu podes pedir o passaporte italiano. Há sempre a bicha nos consulados italianos na América Latina, pessoas que nem falam uma palavra de italiano, mas como são de origem italiana pedem um passaporte italiano para imigrar na Itália.

Então pensa nos teus filhos! Se o teu parceiro não é italiano então melhor imigrares na França. Então para obter a cidadania italiana tens que ter sangue italiano no corpo. Mas há outra maneira: o casamento com uma pessoa de nacionalidade italiana. Depois de 5 anos de casamento com uma pessoa de nacionalidade italiana pode-se pedir o passaporte italiano.

Italianos em 5 anos? Não, obrigado.

Agora uma grande parte dos Italianos, cansados com a criminalidade dos imigrados, querem tirar essa possibilidade de se obter a cidadania italiana somente com 5 anos de casamento. O partido principal do governo , Forza Italia, partido do Berlusconi, está na linha do fogo com isso e até nos blogues dos ministros têm link para a petição , para a recolha de assinaturas para mudar a lei que oferece a cidadania italiana somente depois de cinco anos de casamento com nacional italiano. Se tu és Italiano e queres mudar essa lei, para que não seja assim tão fácil como isso obter a nacionalidade, podes encontrar o link  para a petição por exemplo no blogue da nossa linda ministra Mara Carfagna (www.maracarfagna.it) .Alem disso as Câmaras não vão autorizar casamentos suspeitos de serem inventados somente por adquirir  nacionalidade, assim se tu por exemplo eras uma cubana de 20 anos e aparecias numa Câmara Italiana pedindo de casar com um velhote italiano de 80 anos, hoje para ti seria muito difícil isso.

Nos os Italianos não temos os complexos de inferioridade dos franceses e não temos a pampa para encher de nacionais: nos aqui não "fabricamos"  Italianos.

Eu sei, tu querias mesmo ser italiano/a...eu percebo, quem não gostaria de ter o passaporte italiano no bolso...mas ok, não se pode ter tudo na vida. Que tal de um passaportinho francês? Bonjour, Bonsoir...a língua francesa é linda, não é? É verdade que os homens, a falarem francês, com essa "r " pronunciada à francesa parecem sempre uns maricas, mas as mulheres, as francesas, não são feias...são geralmente lindinhas...

Quero acabar somente com um único conselho:

Aprende a amar a tua terra. Para de fugires. Fica na tua terra e luta para mudar as coisas ali. Muitos Italianos emigraram, mas foram os que ficaram que construíram a Itália. Fugir de ti não serve de nada. Não peças o que a Itália pode fazer para ti, pede o que Tu podes fazer para a TUA terra.


:

publicado por Il Conte às 20:09
link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De Flá a 23 de Junho de 2008 às 22:45
Estudei o Jus Sanguinis quando estudei Direito Romano


De Il Conte a 23 de Junho de 2008 às 23:28
E sempre continuas na faculdade de direito? Qualquer dia hei de tratar-te por Doutora, mas por enquanto es a minha amiguinha pequenina e estrelinha, tão jovem e tão seria! Que ternura és, és mesmo uma querida. Deves ser uma boa moça mesmo, pequenina. xau.


De Flá a 23 de Junho de 2008 às 23:33
Sim, estudo Direito em Coimbra...na melhor faculdade de direito do país e faço parte da muy digníssima Academia Coimbrã. como reparou?


De Pâmelli a 24 de Junho de 2008 às 15:56
Cada país tem suas regras e, pessoalmente, não vejo nada de errado com aqueles que usam o conceito de 'jus solis' para dar a nacionalidade às pessoas.
Penso que se alguem nasceu e morou durante boa parte de sua vida em um país, ( e muitas dessas pessoas viveram alí sua vida inteira...) por que não poderia ter a nacionalidade daquele país?? Esse conceito de 'jus sanguinis' me parece algo meio racista. Por outro lado, acho meio ridículo e absurdo que alguem que NUNCA esteve na Itália, não fala italiano e desconhece a história e cultura do país ( aliás, nem se SENTE realmente italiano...) , possa tirar o passaporte italiano simplesmente porque seu avô foi italiano! Essas pessoas não precisam sequer fazer um teste básico de língua e conhecimentos gerais do país para obter a cidadania. ( São muitos os brasileiros que fazem isso diariamente , já que muitos são descendentes de imigrantes italianos . -Conheço uma moça que conseguiu a cidadania porque o MARIDO É DESCENDENTE DE ITALIANOS ( não é sequer ela! ) . E hoje em dia ele não é nem mais seu marido...:-)))
Me desculpe, mas me parece que em um caso assim, a pessoa deveria ter muito MENOS 'direito' à cidadania italiana do que alguem que nasceu e viveu na Itália boa parte de sua vida - mesmo que não seja descendente direto de italianos...)
Na Dinamarca , por exemplo , é necessário falar a língua e ter morado algum tempo no país -.mesmo que seu PAI seja dinamarquês!! ( Sei disso porque tenho uma amiga no Brasil ( filha de pai dinamarquês) que teve de aprender dinamarquês e passar seis meses na Dinamarca para tirar seu passaporte da UE...
Nada mais do que justo , ao meu ver. )
Nos E.U. tem-se o princípio de 'jus solis' , mas para se obter a cidadania através do casamento , é preciso estudar as leis e a constituição americana, falar a língua e conhecer um pouco a história do país e passar por uma entrevista e teste oral. Acho certíssimo!
Abraços, Pamelli.


De Il Conte a 24 de Junho de 2008 às 19:48
Querida amiga,
eu concordo com você na boa parte das suas argumentações. Vc diz muito bem que cada pais tem as suas regras e eu quero que assim seja, olhe que eu sou muito anti bruxelas , não gosto muito desses burocratas de bruxelas que queriam uniformizar a Europa e fazer da união europeia uma espécie de Estados Unidos da Europa. Não , não , muito obrigado, ok a rede, ok internet, mas gosto de passaportes, controlos nas fronteiras e controlo na imigração, ainda não consigo resignar-me ao acordo de Shengen . Lembro da primeira vez que fui a Portugal, antes da entrada de Portugal na UE, até espanha um italiano podia chegar com o cartão de identidade , mas para entrar em Portugal era preciso o Passaporte, na fronteira o policia da alfandega olhava para mim desconfiado: "olhe que para entrar em Portugal é preciso o senhor ter passaporte" e eu mostrei, e entrei, e não havia em Portugal nem romenos nem búlgaros nem ucranianos , somente imigrados de países lusófonos e tudo era mais lindo e bonito, agora um cigano qualquer entra na espanha ou na Itália e depois sem controlos chega à Dinamarca ... bah ...eu não gosto nada desse Shengen ... Eu por mim não quero italianizar o mundo nem quero que os outros países sejam parecidos com a Itália , alias geralmente gosto das diferenças, das particularidades de cada um. A espanha tem 4.000.000 de imigrados em 40.000.000 de pessoas, a mim francamente parece-me uma loucura, mas, repito: A MIM ! Quer dizer, se os espanhois querem aceitar mais 4.000.000 ou mais 40.000.000 de imigrados tudo isso é com eles e eu acho que os outros países não devem meter o nariz. A França fabrica franceses com o Jus solis e tem uma selecção que parece mais a selecção de um pais africano do que europeu, mas se os próprios franceses gostam assim então qual o problema? tudo bem! Brasil e EUA têm o Jus solis , fizeram bem, porque são países baseados na imigração e sem o Jus solis como faziam? Nacionais seriam então somente os índios ! Não podia ser, evidentemente, e assim houve italianos, espanhois e portugueses que se tornaram brasileiros ou gringos. Fizeram bem em escolherem o Jus solis ? Acho que sim , francamente.
Agora, no que respeita o meu pais lindinho e pequenino, olhe para um Atlas: não vê como a Itália é pequenina comparada com o Brasil ou os Estados Unidos? MAS AQUI JÁ SOMOS 60.000.000, DOS QUAIS 5% IMIGRADOS!
Chega!
Não há mesmo lugar físico , para mais gente, amiga, nos aqui não somos sardinhas!
Num pais enorme como o seu, o Brasil, podiam muito bem imigrar mais 500.000.000 de pessoas e teriam ainda imenso espaço para todos, aqui realmente Não deveria imigrar mais ninguém. Também concordo com vc quando acha que o governo italiano, mas eu diria "os governos italianos anteriores" é demasiado tolerante com isso do jus sanguinis , imagine que até há imensos argentinos com apelido italiano que pedem o passaporte italiano, só para ter um passaporte europeu qualquer e depois imigram mas é na espanha , por falarem a mesma lingua . Barcelona está cheia de "italianos" que falam assim : Hola , que decis ? sos argentino? Ridiculo! Não se devia dar o passaporte tão facilmente a um tipo qualquer que se calhar tem apelido italiano e umas gotas de sangue italiano mas não fala uma palavra da língua e quer somente um passaporte-surf.
De facto esses governos que introduziram exames de lingua antes de obter a cidadania fizeram mesmo bem e tenho esperança que um dia isso seja introduzido também no meu pais. Tudo o que vai fazer de maneira que a imigração e a possibilidade de obter a cidadania italiana sejam coisas mais difíceis a alcançar é algo que vai ter o meu apoio. Também há uns partidos políticos que não só queriam bloquear a imigração com meio muitos duros (militares) como também repatriar aos poucos a maior parte dos imigrados que já se encontram no pais.
Eu queria no pais somente estrangeiros que trabalhem respeitando as leis do pais e assimilando-se, integrando-se, não quero criminosos que andem por ai à solta cometendo crimes e deixando toda a gente no terror. Este é o nosso pais, e nos não merecemos viver no terror, estamos fartos!
Você e eu temos opiniões diferentes em varios pontos, e isso é uma riqueza, mas também temos pontos em comum, eu sinto de concordar com boa parte da sua visão.
Um abraço


Comentar post

arquivos

Outubro 2010

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

recentes

Terrinha

Countdown

Dia insonso

Às veses eles voltam....

Onore e Gloria

Dois novos amigos

Português levanta o cú do...

Salvar Portugal

Boa vida

Uma vida muito real.

Assuntos

a.o.i.

aborrecimento

acordo ortográfico

aktion t4

amizade

amor

anjo mudo

appena prima di partire

arquitectura fascista

asmara

beppino englaro

berlusconi

blackberry

blog

brasil

brasileiros

cacao meravigliao

camões

caprichos

carro

carros

cersaie

cesare battisti

chatice

codigo ladrões romenos

criminalidade

criminosos romenos

crise

democracia

desejo

dinheiro

direito à vida

duce

eluana

eluana englaro

emprego

emprego portuguesinho

eritreia

europa

europa de lepanto

eutanasia

ezra pound

fascismo

federico moccia

felicidade

ferias

flaminio maphia

forças armadas

fragmentos discurso amoroso

futebol

gratidão

hammarberg acorda!

hitler

ho voglia di te

homem estupido

humor

ilusões

imigração sem travões

italia

italia aos italianos

l'aquila

lula

luta à anarquia

luta à criminalidade estrangeira

maluquice

mara carfagna

mulher

mulheres

musica

musica italiana

nautica

officina del tempo

papagaios

perigo imigração

perigo imigrados

perigo romenos

ple

portugal

português língua estrangeira

problema criminalidade

problema romenos

problemas imigrados

racismo

relógios

relogios

rolex

romenos

saudade

saudades

segurança

sonhos

stronza

terrinha

tiziano ferro

trabalho

vida

violencia

violencia contra as mulheres

zero assoluto

todas as tags

links
feeds
pesquisar