Um espaço italianinho e maluco
Terça-feira, 10 de Junho de 2008
Zero Assoluto a oltranza, Stellì

Stellí, esta é para ti...

Não vou carregar o vídeo dos Zero Assoluto no blogue para não chatear os outros leitores com coisas demasiado sentimentais à italiana, não é que me vão chamar de lamecha com tantos vídeos românticos, pois então deixo-te  aquí o link mas não carrego o vídeo no blogue.

Porqué é que não me das a mão e me levas para um passeio na Vittorio Emanuele ou na L.P. ou aonde quiseres ? De mão dada contigo ia para qualquer lugar...

 

 

 

 

 

 

 

Antes assim

Então como estas? Eu vou andando

Parece passado só um istante,  agora que estamos juntos,

e nunca , nunca penso nisso em como teria sido,

se  lembrar-te é  facil, eu queria ser capaz de ficar

e dizer-te tenho vontade de ti, não vês que também

estas  à vontade ? Apetece-me ficar aqui contigo

eh eh eh eh

 

Há algo , mas  é difícil, Não se pode tocar mas

sim viver

Onde está a felicidade agora ? Agora não podes

ou se calhar não queres

Encontrar outra vez a cumplicidade e o nosso

"dolce far niente" . A convicção de viver nisso para sempre, aquela vontade e o calor que nos une

Entre uma canção e um dia que acaba diz-me

que

Nuca pensas nisso?

Eu e tu a durmirmos

Ainda lembro a cidade

E tudo estava alí e nos sentiamo-nos unicos

E agora o que fica para nos, se lembrar não

chega

Não vês que também estas bem?

Tenho vontade de ficar aqui contigo

Nunca pensas nisso? Eu e tu a durmirmos?

Lembro ainda a cidade

E tudo estava alí e sentíamo-nos unicos

e agora o que fica para nos, se tudo isto não chega?

 

 

 

Meglio cosí


Allora come stai, io me la cavo bene
Sembra passato un attimo,ora che siamo insieme
E non ci penso mai mai mai a
Come sarebbe stato,se ricordare è facile
Vorrei saper restare e dirti ho voglia di te
Non vedi che stai bene pure te, ho voglia di restare qui con te
eh eh eh eh eh

 


Qualcosa c’è, ma è difficile
Non si può toccare, ma vivere
Dove sta, la felicità
Adesso non puoi, o forse non vuoi
Ritrovare la complicità e, il nostro dolce fare niente
La convinzione di viverci per sempre, quella voglia e il calore che ci unisce
Tra una canzone e una giornata che finisce, dimmi che


Ci pensi mai
Io
e te a dormire
Ricordo ancora la città
E tutto era li, e ci sentivamo unici
E adesso cosa ci resta, se ricordare non basta
Non vedi che stai bene pure te
ho voglia di restare qui con te


Ci pensi mai
Io
e te a dormire
Ricordo ancora la città
E tutto era lì, e ci sentivamo unici
E adesso cosa ci resta, se tutto questo non basta

 

 

 

 

 


Ah...mas antes de sairmos não te esqueças de me ajustar o nó da gravata, ouviste? Quero sentir as tuas mãozinhas a ajustarem a minha gravata..


:

publicado por Il Conte às 19:10
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

arquivos

Outubro 2010

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

recentes

Terrinha

Countdown

Dia insonso

Às veses eles voltam....

Onore e Gloria

Dois novos amigos

Português levanta o cú do...

Salvar Portugal

Boa vida

Uma vida muito real.

Assuntos

a.o.i.

aborrecimento

acordo ortográfico

aktion t4

amizade

amor

anjo mudo

appena prima di partire

arquitectura fascista

asmara

beppino englaro

berlusconi

blackberry

blog

brasil

brasileiros

cacao meravigliao

camões

caprichos

carro

carros

cersaie

cesare battisti

chatice

codigo ladrões romenos

criminalidade

criminosos romenos

crise

democracia

desejo

dinheiro

direito à vida

duce

eluana

eluana englaro

emprego

emprego portuguesinho

eritreia

europa

europa de lepanto

eutanasia

ezra pound

fascismo

federico moccia

felicidade

ferias

flaminio maphia

forças armadas

fragmentos discurso amoroso

futebol

gratidão

hammarberg acorda!

hitler

ho voglia di te

homem estupido

humor

ilusões

imigração sem travões

italia

italia aos italianos

l'aquila

lula

luta à anarquia

luta à criminalidade estrangeira

maluquice

mara carfagna

mulher

mulheres

musica

musica italiana

nautica

officina del tempo

papagaios

perigo imigração

perigo imigrados

perigo romenos

ple

portugal

português língua estrangeira

problema criminalidade

problema romenos

problemas imigrados

racismo

relógios

relogios

rolex

romenos

saudade

saudades

segurança

sonhos

stronza

terrinha

tiziano ferro

trabalho

vida

violencia

violencia contra as mulheres

zero assoluto

todas as tags

links
feeds
pesquisar