Um espaço italianinho e maluco

Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2009
Para a frente, um bocadinho saudoso...

Passei dias maravilhosos ao lado da minha Portuguesa Preferida, que ficou comigo entre 27 de Dezembro e 4 de Janeiro. Para aproveitar ao maximo ela chegou no primeiro voo util do dia 27 e partiu no ultimo do dia 4. Mas ontem, quando cheguei ao lado dela à porta de embarque foi bastante duro. Ela passou, e eu fiquei do lado de ca, a ve-la desaparecer aos poucos, enquanto continuava comprimentando com a mao. Agora, se tudo correr bem, so voltou a estar com ela em Abril. Acho que somos mesmo dois parvos: como podemos manter este amor com esta distancia? Ela esta a ajudar-me a encontrar um lugar em Portugal, um conhecido dela vai começar um projecto novo nos proximos meses e podia empregar-me. Veremos. Tudo incerto!

Hoje ando um, bocadinho desassossegado, ela faz-me falta, partiu ontem e ja tenho saudades dela. Inicialmente deviamos passar uns tres-quatro dias em Roma, mas depois ela gostou tanto da minha terrinha nas montanhas que preferiu ficar sempre aqui na terrinha, so passamos um dia em Roma e depois os outros aqui pelas cidades da regiao Abruzzo, nas montanhas e no mar.

Nao quero queixar-me, agradeço Deus pela possibilidade de eu viver na minha terra e pelos dias maravilhosos muito portuguesinhos. Foi giro comer à Portuguesa ca na minha terra...


: saudoso
Assuntos:

publicado por Il Conte às 10:17
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Domingo, 20 de Julho de 2008
Homém idiota

Acordei tarde, levantei tarde, fiquei ali na casa de banho a perder tempo, preguiçoso, hoje ando com um cansaço psicologico, embirrado comigo proprio por ter sido tão ingenuo, devia era ter tido cuidado, já não tenho quinze anos, acabei como um adolescente a passar por emoções tão esquecidas, que já não experimentava há imensos anos. E agora? Este vazio, este frio que me sopra na alma, homem idiota, e nem lembro como lidar com isso, são coisas de adolescentes e eu já não sou adolescente há muito tempo, já seria bastante velhote para estas emoções parvas, nem me lembro bem como lidar com isto.

Tá, vou para a livraria, ver se encontro o livrinho de Roland Barthes, hei de voltar a estudar isso, se calhar percebendo depois já esta sensação de vazio acalmava-se um bocado.

E depois hei de pensar no amanha. Depois de Outubro de 2010 podia casar com uma mulher Portuguesa, na Itália temos uma burocracia sem sentido que nos obriga a ficar a espera ao menos três anos entre o fim dum casamento e o casamento seguinte...que lei tão inutil...bem por enquanto vou utilizar estes dois anos para encontrar essa tal Portuguesa que quero casar.

Há em Portugal mais ou menos 5.000.000 de Portuguesas, dessas digamos que umas 300.000 encontram-se entre os 35 e os 40 anos de idade, destas umas 100.000 vivem no norte, e destas 100.000 umas 70.000 devem ser morenas. Entre as 70.000 morenas nortenhas entre 35 e 40 umas 20.000 devem ser altas, e destas umas 10.000 quer altas quer magras. Nestas 10.000 umas 5.000 são lindas, e entre estas umas 1.000 devem estar livres, viuvas, solteiras ou divorciadas. Tirando as lesbicas (digamos 50) ficam 950, pode ser? Entre elas a maior parte não querem saber nada de namorados italianos, que vivem na Itália, tiramos pois 700, ficam 250 que não se importariam de ter um parceiro estrangeiro, entre elas quais as com uma mentalidade conservadora como eu gosto? Podiam ser 100?

Bem, eu acho que em Portugal deve haver mais ou menos 100 Portuguesas das quais eu podia ficar apaixonado. Depois era preciso encontra-las!

Mas a mim só chegava conseguir encontrar 10 !

Tentando com 10 ao menos com uma acho que ia dar certo...

Querido leitor, tenho um sonho, casar com uma Portuguesa morena alta, magra, do norte, que não se importe de viver na Itália e que esteja entre 35 e 40 anos...

Como vou eu encontrar essa perola?

Cadastrei-me num site de encontres mas só encontro algarvias, loiras, comunistas, feias, casadas...enfim, isto aqui vai ser dificil pá !

Das-me uma mãozinha?

Não tens ai uma irmã, uma prima, uma colega com essas caracteristicas? Se calhar tu gostas de loiras ou de alentejanas e não te importas nada com nortenhas morenas e um bocado fascistinhas...então ajuda este pobre diabo italiano que já nem sabe o que fazer...

Bem, por enquanto sabe, ele vai para a livraria do Barilla Center comprar a tradução italiana de um livro do Barthes (Fragmentos de um discurso amoroso).

Oxalá consiga encontrar...

Hei de manter-me ocupado, ler, escrever, estudar, fazer qualquer coisa, mas não quero experimentar saudades, não estou para sentir-me cozer em lume brando pelas saudades


:

publicado por Il Conte às 09:41
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

Domingo, 6 de Julho de 2008
Montagne Verdi

Vou ter saudades das minhas montanhas verdes, nessa planicie insonsa do norte. A canção para hoje so pode ser mesmo "montagne verdi", uma velha canção italiana de 1972 da Marcella Bella.

 

 

Mi ricordo montagne verdi...

 

Lembro as montanhas verdes

...e le corse di una bambina...

 

...e as corridas duma menina...

...con l'amico mio più sincero, un coniglio  dal muso nero

 

...com o meu amigo mais sincero. um coelho de focinho preto...

 

 ...poi un giorno mi prese il treno, l'erba, il prato, quello che era mio, scomparivano piano piano, e piangendo parlai con Dio...

 

...depois um dia o comboio levou-me embora, a relva, o relvado, aquilo que era meu, desapareciam aos poucos e chorando falei com Deus...

 

 

Letra completa da canção "Montagne Verdi"


:

publicado por Il Conte às 17:53
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 3 de Julho de 2008
Fim de semana prolongado na terrinha (se Deus quiser).

Amanha de madrugada, se Deus quiser, parto para um fim de semana prolongado na minha terrinha (L'Aquila). Estou farto destas planícies insonsas do norte da Itália, estou com saudades das minhas lindas montanhas. E depois aqui está um calor insuportável enquanto a minha terra é bem fresquinha.

Infelizmente não vou somente para matar saudades e sim tambem para a declaração dos rendimentos! Mas agora quero pensar em coisas boas, no amor que tenho para a minha terra, não quero pensar nas taxas por enquanto, vou deixar essa chatice por quando estiver ao pé do meu contabilista...


:

publicado por Il Conte às 19:19
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quarta-feira, 4 de Junho de 2008
O sorriso duma Portuguesa a quem eu quero muito bem.

Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre.
(Cecília Meireles)

Este sorriso é a única razão pela qual eu comecei a estudar a Língua Portuguesa. Passaram muitos anos desde a última vez que ví esse  sorriso, foi num bar do Aeroporto Leonardo da Vinci, em Roma, pouco antes dum avião descolar rumo a Lisboa. Provavelmente não voltarei a ver este sorriso outra vez, mas ficou gravado em mim para sempre, assim como esta linda Língua Portuguesa que aprendí a amar sem reservas.

E assim hoje esta Língua, o português, é tudo o que me fica para matar saudades duma pessoa a quem eu queria muito bem.

Queria?

 

Pequenina, tu nunca vais ler isto, mas eu quero-te bem , hoje como ontem. Quero-te muito bem,pequenina.

Se agora me aparecesse um génio saído duma lâmpada para me satisfazer três desejos o primeiro seria receber um beijo teu, de língua, mas muito, muito, muito puxadinho.

Tenho saudades tuas, já sei que vou ter para sempre, é o preço a pagar para saber que existes. És a mais bela do mundo. Tudo de bem para ti.

 

Nunca colocaria uma foto dela num espaço publico, como um blogue, sou uma pessoa reservada  que tem respeito para a privacidade alheia, quis colocar somente o sorriso dela, tenho esperança que ninguém consiga identifica-la pelo sorriso...

Ufa hoje estou cheio de saudades, deve ser porque comprei o cd dos Zero Assoluto e oiço no carro enquanto vou para o trabalho. Se continuar assim atiro o cd paro o lixo, essas canções deixam-me muita saudade...

Qualquer dia me ponho a escrever poesia! Não, estou a brincar, agora poesia é exagero, eu não sou nenhum Jovem Werther...


:

publicado por Il Conte às 22:01
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 13 de Abril de 2008
Caprichos
Muito silenciosa a minha vida, nos últimos dias. Antes o telemóvel tocava mais frequentemente, chamadas, sms , e-mail. Agora tudo é muito quieto. Se por um lado minha vida tornou-se muito mais sossegada e normalzinha, por outro ficou também mais aborrecida, e admito que tenho saudades duma maluca muito especial que enchia de maluquice a minha vida. A vida é tão curta que nem podemos ser sempre aquele sérios ...É  preciso também rir-se da vida e das pessoas. Estou também com saudades da minha terrinha, não gosto de viver nesta planície insonsa, só ' fabricas e campos cultivados a perder de vista, queria ver as minha montanhas.
Pronto, hoje acordei com dores de garganta, comí umas colheres de mel a apagar esse fogo que me estava a queimar por dentro e agora a garganta já não dói , ao menos por enquanto. Mas estou com mil caprichos e saudades, como uma criança com dez aninhos.

:
Assuntos: ,

publicado por Il Conte às 09:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

arquivos

Outubro 2010

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

recentes

Para a frente, um bocadin...

Homém idiota

Montagne Verdi

Fim de semana prolongado ...

O sorriso duma Portuguesa...

Caprichos

Assuntos

a.o.i.

aborrecimento

acordo ortográfico

aktion t4

amizade

amor

anjo mudo

appena prima di partire

arquitectura fascista

asmara

beppino englaro

berlusconi

blackberry

blog

brasil

brasileiros

cacao meravigliao

camões

caprichos

carro

carros

cersaie

cesare battisti

chatice

codigo ladrões romenos

criminalidade

criminosos romenos

crise

democracia

desejo

dinheiro

direito à vida

duce

eluana

eluana englaro

emprego

emprego portuguesinho

eritreia

europa

europa de lepanto

eutanasia

ezra pound

fascismo

federico moccia

felicidade

ferias

flaminio maphia

forças armadas

fragmentos discurso amoroso

futebol

gratidão

hammarberg acorda!

hitler

ho voglia di te

homem estupido

humor

ilusões

imigração sem travões

italia

italia aos italianos

l'aquila

lula

luta à anarquia

luta à criminalidade estrangeira

maluquice

mara carfagna

mulher

mulheres

musica

musica italiana

nautica

officina del tempo

papagaios

perigo imigração

perigo imigrados

perigo romenos

ple

portugal

português língua estrangeira

problema criminalidade

problema romenos

problemas imigrados

racismo

relógios

relogios

rolex

romenos

saudade

saudades

segurança

sonhos

stronza

terrinha

tiziano ferro

trabalho

vida

violencia

violencia contra as mulheres

zero assoluto

todas as tags

links
feeds
pesquisar