Um espaço italianinho e maluco

Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008
Serà possivél aprender algo de útil por um dictador criminal?

 

"Sei muito bem o que quero e para onde vou" (Doutor Antonio de Oliveira Salazar).

Na escola ensinaram-nos que o Hitler, o Mussolini, o Franco, e o Salazar foram uns doidos criminosos e assassinos que tiveram as mãos sujas pela morte de muitas pessoas inocentes. Tudo isso é verdade, foram todos uns assassinos sem  escrupolos que mancharam-se de graves crimes contra a humanidade. Frequentemente nas escolas os professores esquecem-se porém de dizer-nos que esses assassinos, ao menos inicialmente, chegaram ao puder através do suporte de milhões de cidadãos, de facto chegaram ao puder porque tinham o apoio da MAIORIA dos cidadãos, ao menos numa fase inicial.

O juizo que se deve dar a nível politico de dois dele (Hitler e Franco) é negativo, enquanto o Mussolini e o Salazar apesar de terem dado muitos erros, foram contudo politicos que fizeram o que podiam pelas respectivas patrias, não se pode comparar Mussolini com Hitler nem Salazar com Franco.

Na escolas dão-nos uma perspectiva das coisas frequentemente politicizada, e como a maioria dos professores são de esquerda, então os dictatores de direita são pintados sempre como monstros, enquanto os de esquerda (que fizeram muitos mais mortos) recebem um juizo menos feroz. Depois, estudando sozinhos, aprendemos que o Hitler matou 6 milhões de Judeus, mas o Stalin , o Mao e o Pol Pot mataram mais de 80 milhões de pessoas, e então aprendemos que os dictatores comunistas são tão criminosos como os de direita ou até piores.

Eu acho que o Hitler era doido, e contudo agora ando a ler um livro, a tradução italiana de "Hitler private's library" (a biblioteca pessoal de Hitler) que conta o que Hitler gostava de ler. Com os anos o Hitler chegou a ter uma biblioteca pessoal de mais de 16.000 livros, ainda que não leu todos, claro, e estou a achar essa leitura muito interessante: por esquisito que possa parecer, olhando para o Hitler de forma racional, sem ideologias e sim com o olhar frio do cientista, é possivél aprender algo até por ele.

O quê?

É POSSIVÉL APRENDER COMO UTILIZAR A FORÇA DE VONTADE !

O Hitler era uma doido sem vintém e sem nenhuma formação , dava imensos erros de ortografia e de sintaxe, era um burro e era pobre, um pintor pobre e falido. Mas tinha ideias, malucas, mas tinha, e acreditava muito no que pensava e no que ele próprio queria, apesar de tudo e de todos, tinha uma fé inabalavel nos seus próprios sonhos: era um visionario.

No verão de 1924 estava preso, na cadeia, aproveitava do tempo para escrever o seu livro Mein Kampf (a minha batalha), cheio de programas absurdos e , claro, cheio de erros a todos os níveis. Pela janela olhava para os carros, e decidiu que queria era ter um Mercedes Kompressor, cinzento, custava 26.000 marcos. Ele não tinha nada, somente ideias politicas e um livro que andava escrevendo na cadeia, mas queria esse carro : QUERIA ESSE CARRO.

A 20 de Dezembro de 1924 ele deixava a prisão a bordo do seu Mercedes novinho, presente dos Bruckmann um casal de ricos alemães que apreciavam muito as ideias dele.

No Julho de 1925 saiu nas livrarias o livro dele, acolhido somente por uma critica feroz, muitos acusando o autor de ser completamente doido, mas ele continuava acreditando nas ideias dele, na visão dele.

Na primavera de 1928 os eleitores alemães foram para as eleções,e para o Hitler foi uma imensa derrota, o partido dele ganhou somente 2,6 %.

Mas o Hitler continuava fazendo discursos públicos, nos quais falava da importancia da patria, da nação, da luta para defender a nação contra os estrangeiros...

Em 1929 uma crise economica enorme, causada (ontem como hoje) pela superficialidade dos financeiros de Wall Street, chega na Europa e estraga as economias europeias: o partido de Hitler, as ideias dele, começam a tornarem-se terrivélmente populares...

Estudando a historia de Hitler, descobre-se um homem (doido) que continuou sempre acreditando nas suas proprias ideias apesar de todas as dificuldades.

Hitler foi um mostro, mas um mostro que nunca se deu por vencido.

Qual a lição a aprender por um homem assim? Será que ele tem algo para ensinar?

Tem: não desistir!!!

Ter uma visão!

Acreditar em si e nas proprias ideias apesar dos outros e apesar das enormes dificuldades (cadeia, pobreza, falta de formaçao, derrotas politicas).

Hitler não era mais formado dos outros, era um burro, não era mais rico, estava sem vintém, e era menos popular, falava coisas absurdas, mas , tal como o Salazar, "sabia muito bem o que queria e para onde ia".

O convite que quero fazer a todos os leitores não é de organizarem campos de concentração para matar judeus, e sim simplesmente de terem objectivos, visões, grandes sonhos, e de lutarem para eles, acreditando neles. Uma pessoa de bem, com uma força de vontade parecida à do Hitler, do Salazar ou do Mussolini, em vez de ser um grande assassino, podia fazer muito de bem para a sociedade.

Mais uma vez repito que aos meus olhos Hitler foi um assassino e o juizo politico que tenho sobre ele é negativo, mas fico contudo admirado pela grande força de vontade que teve.

 


Rare Video Of Hitler - video powered by Metacafe


: livre
Assuntos:

publicado por Il Conte às 17:47
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 6 de Dezembro de 2008
Livros que me intrigaram.

Que dura esta disciplina económica de eu comprar no máximo três livros por mês...eu costumava comprar mais e agora é sempre difícil quais escolher. Hoje fui para a livraria do Barilla Center e comprei dois dos três livros para o mês de Dezembro, cativaram logo a minha atenção e não soube resistir.

O primeiro é a tradução em italiano (In fuga dall'Opus Dei) do livro "Dans l'enfer de l'Opus Dei" da Véronique Duborgel - Éditions Albin Michel 2007, a autora conta a sua própria saída do Opus Dei. Já li vários livros sobre o Opus Dei, entre os quais dois de ex-membros que escolheram sair. Eu pessoalmente não tenho nada contra o Opus Dei, alias tenho muito respeito, é uma forma tradicional e conservadora de seguir a doutrina católica de que eu gosto muito, e frequentemente volto a ler uns dos 999 pontos do livro "Camino" de São Josemaria Escrivá, fundador do Opus Dei. A mensagem do Opus Dei é simples: rezar através do trabalho, fazendo com compromisso e seriedade as tarefas da própria vida, este caminho de santificar a própria vida não escondendo-se num mosteiro e sim ficando laicamente no mundo trabalhando com compromisso e seriedade na sociedade é algo de que eu gosto muito. Apesar de gostar da mensagem do Opus Dei e dos escritos do Escrivá, também quero ler opiniões de quem é contra o Opus Dei. Prefiro deixar essas parvoíces do "Codigo da Vinci" do Dan Brown, tudo isso não passa duma palhaçada, aquilo é uma parodia do Opus Dei, mas vou lendo opiniões contrarias ao Opus Dei, contrarias mas escritas por pessoas serias, nada de palhaçadas comerciais à Dan Brown. Comprei o livro pela manha e já o li, fiquei intrigadíssimo!

O segundo livro que comprei também me intrigou muito, é a tradução em italiano (La biblioteca di Hitler) do livro "Hitler's private library" do Timothy W. Ryback, é um livro que fala das leituras do Hitler, dos livros que o Hitler gostava ler. Agora todos leram livros escritos pelos Judeus sobre os horrores dos campos de concentração, os milhões de mortos, etc, desde a escola que lemos acerca disso, e acho importante ler e estudar para não voltarmos a passar por isso e para não esquecermos. Ok, mas quis também ler o Mein Kampf, a obra que o próprio Hitler escreveu e que contem os pensamentos dele, e agora ando a ler este livro que fala das leituras preferidas dele. Eu acho que em geral, é sempre melhor ler e estudar as ideias das duas partes, ler o que escreveu o Escrivá e o que escreveram os inimigos dele, ler o que escreveram os históricos judeus e ler o que escreveu o Hitler, depois, conhecendo as duas filosofias , uma pessoa pode livremente , segundo a própria consciência, decidir qual o pensamento de que gosta mais. Eu vejo que em geral às pessoas não perdem muito tempo em tentar conhecer as opiniões dos outros, e logo dizem que os comunistas são feios e comem as crianças, os fascistas passam a vida a baterem nas avozinhas etc. etc.

Antes de se ter uma opinião pessoal sobre um assunto acho melhor estudar um bocado, ouvindo duas ou mais versões diferentes das coisas. Eu sou a favor do Opus Dei (e sou contra o Hitler !) mas leio o que escrevem os inimigos do Opus Dei e tento descobrir o que passava na cabeça desse doido do Hitler.



publicado por Il Conte às 18:10
link do post | comentar | favorito
|

arquivos

Outubro 2010

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

recentes

Serà possivél aprender al...

Livros que me intrigaram.

Assuntos

a.o.i.

aborrecimento

acordo ortográfico

aktion t4

amizade

amor

anjo mudo

appena prima di partire

arquitectura fascista

asmara

beppino englaro

berlusconi

blackberry

blog

brasil

brasileiros

cacao meravigliao

camões

caprichos

carro

carros

cersaie

cesare battisti

chatice

codigo ladrões romenos

criminalidade

criminosos romenos

crise

democracia

desejo

dinheiro

direito à vida

duce

eluana

eluana englaro

emprego

emprego portuguesinho

eritreia

europa

europa de lepanto

eutanasia

ezra pound

fascismo

federico moccia

felicidade

ferias

flaminio maphia

forças armadas

fragmentos discurso amoroso

futebol

gratidão

hammarberg acorda!

hitler

ho voglia di te

homem estupido

humor

ilusões

imigração sem travões

italia

italia aos italianos

l'aquila

lula

luta à anarquia

luta à criminalidade estrangeira

maluquice

mara carfagna

mulher

mulheres

musica

musica italiana

nautica

officina del tempo

papagaios

perigo imigração

perigo imigrados

perigo romenos

ple

portugal

português língua estrangeira

problema criminalidade

problema romenos

problemas imigrados

racismo

relógios

relogios

rolex

romenos

saudade

saudades

segurança

sonhos

stronza

terrinha

tiziano ferro

trabalho

vida

violencia

violencia contra as mulheres

zero assoluto

todas as tags

links
feeds
pesquisar