Um espaço italianinho e maluco

Sexta-feira, 3 de Abril de 2009
Até dia 14 de Abril, se Deus quiser

 

A minha Portuguesa preferida hoje depois de acabar o trabalho dela apanhou um expresso e agora já se encontra em Lisboa, amanha de manha se Deus quiser ela apanha um avião para Roma.

Ando muito entusiasmado com a chegada dela, tenho muitas saudades para matar. Vai ficar comigo nove dias, oito noites, se Deus quiser, quem me dera ficasse para sempre, mas também não me queixo, por enquanto fico contente com estes poucos dias que temos para estarmos juntos, e um dia ainda hei de encontrar o caminho para viver ao lado dela sempre, quer seja na Itália ou em Portugal, tanto faz.

Não vou entrar no Sapo nos próximos dias, só voltarei a escrever no meu blog a 14 de Abril , sempre se Deus quiser. Um abraço a todos, especialmente à malta que frequenta o meu espaço italianinho e maluco regularmente.


Assuntos: ,

publicado por Il Conte às 21:07
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|

Domingo, 8 de Março de 2009
Para a frente.

" (...) somente faço uma coisa: esquecendo-me do que fica para trás e avançando para as coisas que me estão diante, prossigo para a meta (...)

 

Filipenses 3:13, 14

 

Procuro o caminho certo na palavra do Senhor.

Agora que as coisas não me correm bem, o único consolo possível vem dele. Tenho Fé. Sei que as coisas vão correr como há de ser, oxalá seja como eu também gostaria, mas afinal, o que Deus quiser. Se pensar nas mudanças à minha frente fico um bocado com medo. Então acho que vou pensar nelas a partir de amanhã, hoje quero um Domingo de sossego.

O meu papagaio não para de mexer e de assobiar, o meu sossego vai ser relativo. Pelo almoço passa por minha casa uma tia que preparou um bolo para mim, sobrinho com sorte, os bolos da tia são bons mas eu devia perder uns 4-5 quilinhos, não devia comer bolos. Veremos, eventualmente só um bocadinho, sem exagerar.

Ao fim da tarde vou para a Igreja.

 

Quem me dera ganhar uma lotária! Podia mudar para Portugal e viver com a minha Portuguesa preferida, abrindo uma loja ali, ou então abria uma escola de língua portuguesa na Itália e oferecia um emprego de professora à minha Portuguesa preferida.

Ah...quantos sonhos infantis...

Mas sem ganhar essa tal lotária não sei como encontrar o dinheiro necessário para mudar a minha vida. Assaltar um banco? Nestes tempos acho que nem dava, que os próprios bancos não andam nada bem, têm imensos problemas financeiros.

 

Bem, mais vale ser óptimista: estou bem em saúde, graças a Deus, e isto já vale 50% da felicidade duma pessoa, uma línda portuguesa ama-me (mais 49% de felicidade) e se tudo correr bem a 4 de Abril vai ter comigo, portanto só há 1% de motivos para eu ser infeliz.

Mas também não trocava a minha condição de homem são e amado, ainda que sem recursos financeiros para perseguir os sonhos dele, com a condição de um tipo riquissimo mas doente e odiado, com dinheiro mas sem saúde e sem amor, um tipo assim podia abrir actividades comerciais sem problemas, mas a saúde pode comprar-se somente parcialmente e o amor nunca se compra. Lí no diario das filas de americanos ex riquissimos de Wall Street, que agora ficaram desempregados e andam a procura dum emprego, entre eles havia um públicitario, que vivia numa casa de luxo em Manhattan, mas quando as coisas começaram a correr mal a mulher dele foi-se embora, claramente gostava mais do dinheiro dele do que dele próprio. Eventualmente terá sido uma mulher linda, mas afinal não passava duma simples puta, uma puta de classe, mas sempre puta. Agora esse tipo, que está desempregado, pode ter a oportunidade de eventualmente conhecer o verdadeiro amor. Há desempregados que são amados, até muitos amados, e alí é mesmo amor, alias Amor.

E tu leitor, se tivesses que escolher somente uma coisa entre o dinheiro e o amor, preferias muito amor sem dinheiro ou muito dinheiro sem amor?

Não me digas que preferias muito dinheiro e muito amor!!! Assim não vale, todos  gostavamos!!!


Assuntos: ,

publicado por Il Conte às 10:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Terça-feira, 25 de Novembro de 2008
Mexericos e óptimismo, alias "ótimismo" pamelliano.

Ontem escrevi aqui no blog que eu não posso com a televisão italiana, cheia de tantos programas-lixo. Quero voltar hoje a tratar isso e até venho a sujar o meu blog com mexericos!!! Eu detesto mexericos!!! Mas hoje vou fazer...porque são mexericos que me enchem de alegria e daquele "ótimismo à Pamelli".

Essa tipa da foto chama-se Antonella Clerici, tem 46 anos e é uma condutora dum programa-lixo sobre jogos com receitas de cozinha que aparece na televisão italiana do estado, o gajo chama-se Eddy Martens, tem 30 anos (olhem só a Antonella que espertinha!) e era um simples animador duma aldeia turística em Marrocos, ele vem do Congo mas tem algo também de origem da Bélgica, é um mulato africano. Conheceram-se quando a Antonella estava de ferias e apaixonaram-se, isto é, ela apaixonou-se provavelmente sobretudo do corpo dele, e ele provavelmente sobretudo do dinheirinho e do puder dela. E assim a Antonella Clerici, depois de dois divórcios tem agora este novo parceiro. Logo arranjou uma cunha para ele e agora arranjou-lhe um emprego na televisão do estado onde ela também trabalha e o gajo, que era um simples animador turístico, agora é um autor de programas RAI e ganha um ordenado de sonho (as voltas que a vida dá!). Além da cunha descarada a Antonella pensou também de ficar grávida dele, e assim agora, com 46 aninhos, a loira está a espera duma menina.

E contudo não quero fazer o moralista, alias quero abençoar esse par, que Deus os abençoe, não me importo com cunhas, com a diferença de idade, é tudo com eles, nem me interessa se foi mesmo amor ou se houve muitos cálculos, tudo isso é com eles.

Eu desejo-lhes que sejam felizes, e que a menina seja lindinha como o pai.

Quis sujar o meu blog com mexericos por uma razão: há uns dias num comentário a um post da amiga e colega blogger Pamelli acerca do meu carro tipo família escrevi que, sim, quem me dera eu ser pai, eu bem gostava, mas para isso se calhar devia arranjar uma parceira mais jovem de uns 15 aninhos, pois a minha portuguesa preferida está na mesma faixa étaria minha e da Pamelli. A Pamelli, que tem aquele "ótimismo" maravilhoso respondeu-me que nos EUA não são raros os casos de mulheres que chegam a serem mães na casa dos quarenta anos. Ahh...que "ótimismo", pensei...

Depois hoje, a ouvir falar da historia da Anonella Clerici e do Eddy Martens, então pensei:

Capaz que a amiga Pamelli tenha mesmo razão...

NEVER SAY NEVER AGAIN !

 

Pamelli, olhe, quero adoptar esse seu ótimismo e sonhar com um futuro lindo para mim e para a pessoa que amo, sei que você não se importa por eu adoptar a sua visão otimista da vida.

 

P.S.  Eu geralmente escrevo óptimismo e óptimista, mas neste post quis escrever ótimismo e ótimista como uma pequena homenagem à Pamelli, que é Brasileira. (É TAMBÉM GRINGA !)

 


:

publicado por Il Conte às 12:48
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008
O que será de nós?

 

 

Começo a ter medo.

É porque percebo que estou apaixonado à serio. Tenho à frente mais 40 dias de espera antes de estar outra vez nos braços da minha Portuguesa preferida. Se depois ela ficasse comigo para sempre, não havia problema, mas ela só pode ficar oito noites/nove dias. Depois terei que leva-lá ao aereoporto para ela voltar ao emprego dela em Portugal. Sei que teremos que falar muito, acerca de nós, mas principalmente teremos que encontrar uma solução. Por enquanto ainda acreditamos num futuro "nosso", na possibilidade de partilharmos um caminho, mas também sabemos os dois que esse caminho só poderá ser real e não virtual. Não podemos estar juntos somente uma vez em cada três ou quatro meses, aquilo não fazia sentido nenhum. Realmente começo a ter medos, medos de ter que resignar-me a uma parceira italianinha, deixando ir as minhas fantasias demasiado maluquinhas. Não sei o que vão ser esses dias, podiam ser o inicio duma nova vida ou o fim dum namoro internacional maluco. Estes são tempos difíceis para eu arranjar um emprego em Portugal. Eu não me importava com o ordenado, podia contentar-me, ainda que fosse mais baixo dum ordenado italiano, valia a pena para viver ao lado dela, mas é mesmo difícil.

Ela podia muito facilmente encontrar um trabalho aqui, trabalho há, mas não ia encontrar um emprego ao mesmo nível de importância do que ela tem em Portugal (ela tem um emprego importante), depois o amor não chegava para compensar a falta de realização profissional.

Nunca aceitaria que ela deixasse o emprego que tem agora para depois fazer de criada num restaurante ou num bar na Itália, ou para ela ficar em casa, isso nunca.

Porque me sinto tanto atraido pela mulher Portuguesa?

Devo ter sido Português numa vida passada.

Realmente não sei...quer dizer, vivo num pais cheio de mulheres lindas...porque esta mania da parceira portuguesinha?

Não podia contentar-me com uma Italiana?

Já sei que não ia dar.

Já experimentei em "contentar-me", casando com uma Italiana apesar de na altura do casamento amar uma Portuguesa: não deu, perdi cinco anos de vida e pronto, chegou a separação. Não quero voltar a passar por aquilo.

Os meus sonhos são de tamanho gigantesco e eu tenho recursos minimos...

Às vezes , quando fico com medo em relação aos meus sonhos olho para um mapa do mundo, olho para Portugal: um pais tão pequenino...Depois olho para todas as terras, espalhadas por esse mundo, nas quais se fala português: como conseguiram alcançar aquilo?

A nível racional tento "programar" o meu inconsciente com mensagens sempre óptimistas, de opções e possibilidades, mensagens de riqueza, amor e bem estar, a ver se consigo convence-lo!!!

Sei que devia era relaxar-me, ficar relaxado trabalhando confiante e óptimista na direção dos meus sonhos, sem medo...

Mas hoje, francamente, sinto-me impaciente e cheio de confusão.

Se ela não me amasse, seria mais fácil, se fosse apaixonado somente eu e ela ficasse por ser alcançada podia desistir mais facilmente, mas como ela também não se cansa de me motivar e de me dar carinho mostrando-me que também acredita nesta loucura dum futuro "nosso" então realmente não sei o que fazer...

A única coisa que sei é qual a música que vou cantarolar hoje: a fisga

 


: pequenino e assustado
Assuntos: ,

publicado por Il Conte às 10:38
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 6 de Novembro de 2008
Um beijo internacional

 



publicado por Il Conte às 19:50
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008
Indo eu indo eu a caminho de Viseu

Indo eu, indo eu
A caminho de Viseu
Indo eu, indo eu
A caminho de Viseu
Encontrei o meu amor
Ai Jesus, que lá vou eu
Encontrei o meu amor
Ai Jesus, que lá vou eu!

Ora truz, truz, truz,
Ora tráz, tráz, tráz,
Ora chega, chega, chega
Ora arreda lá p'ra trás

Vindo eu, vindo eu
da cidade de Viseu
Deixei lá o meu amor,
O que bem me aborreceu!


música: indo eu indo eu a caminho de Viseu

publicado por Il Conte às 19:31
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Setembro de 2008
E vissero tutti felici e contenti...

As fabulas, em italiano , costumam acabar com as palavras "...e vissero tutti felici e contenti."

Eu escolho acreditar num "happy ending" (para utilizar a expressão duma amiga americana).

Não quero contentar-me com segundas posições, quero mesmo como parceira a Portuguesa que amo, sei que um dia vou ser feliz com ela, ainda não sei se vai ser em Portugal ou na Itália, mas ao lado dela podia viver quer em Portugal (passando as ferias em L'Aquila, Itália), quer na Itália, passando as ferias na Estremadura, em Portugal.

Acredito em mim, acredito nela, acredito em Deus, acredito no amor e acredito na vida.

A vida é maravilhosa, já hoje a minha vida é maravilhosa e não trocava o meu lugar no mundo nem com o Abramovich (não gostava de ter uma esposa russa: que nojo!) nem com o Brad Pitt (não sabe falar português) nem com ninguém, gosto mesmo desta minha vida, quero viver esta!!!


: feliz e amado
Assuntos: ,

publicado por Il Conte às 23:40
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 27 de Julho de 2008
The secret

Há umas semanas ouví falar acerca do livro " The secret " numa transmissão radio da RTP. Achei o assunto interessante e então procurei o livro no meu pais: sim também foi traduzido para o italiano e assim comprei. Muito optimismo americano, esse tal pensamento positivo, isso muito resumido seria que atraímos na nossa vida as coisas em que estamos mais focalizados, portanto teríamos a capacidade de atrairmos na nossa vida a pessoa que desejamos e o nível de riqueza que desejamos se  soubermos escolher bem os nossos pensamentos  e sonhos.

Bem como não tenho nada a perder vou ver se deixo entrar na minha vida as sugestões encontradas nesse tal livro do Segredo. Adoro esses livrinhos assim que prometem voltar uma pessoa rica em pouco tempo, magicamente. Eu não acredito que seja assim tão fácil como isso, e como muito bem diz o Nuno Markl da RTP os únicos a tornarem-se ricos são os autores desses tais livrinhos, contudo acho graça e então leio.

Eu sei perfeitamente como devia ser a mulher dos meus sonhos, não tenho nenhuma duvida, não devia ser "bonita" ou "simpática" ou "boa mulher" e sim devia ser: Portuguesa, entre 35 e 40 anos, do norte de Portugal, morena, alta e magra, com uma mentalidade conservadora que seja aventureira, que goste de viajar e que não se importe de viver longos anos na Itália, ao menos até à reforma, depois era possível também viver em Portugal. Devia ser assim e pronto.

Cadastrei-me por brincadeira num desses sítios de amizades internacionais, e só chegavam emails de russas e romenas, que eu lia mas não respondi a nenhuma, depois encontrei essa tal pérola que estava procurando e nem acreditava: 38 anos, do Porto, pequenina, magra, portuguesa, mentalidade conservadora, que viaja muito ao estrangeiro por motivos de trabalho...e muito linda. Tem todas as características para ser a mulher dos meus sonhos, só falta uma: não é lá muito alta, é normalzinha, pequenina, mas é magra, linda e tem tudo o que eu gosto. Escrevi para ela, e ela respondeu-me, escrevi uns email malucos, depois ontem à noite ela apareceu convidando-me num chat com ela. Adorei.

Começou logo com a tirada que só podíamos ser amigos, que eu não seria o homem certo para ela, que não começasse eu a colocar asas à minha fantasia, essas tiradas que fazem às mulheres no chat quando o outro não é lindo,rico,loiro etc. quando elas não ficam logo perdidas sem perceberem mais nada.

Agora nem sei o que fazer, quer dizer, gosto muito dela, e quem sabe, com o tempo...como a gota de agua na pedra...quem sabe...nunca se sabe...mas é que era preciso gastar ali muito tempo porque partiria de muito longe e eu não sei se tenho assim tanto tempo como isso, quer dizer, queria uma parceira, uma namorada, o sexo não chega, quero mais do sexo e agora só tenho sexo. Por outro lado as outras comparadas com a tripeira parecem tão insonsas...

Porque não podia arranjar uma namorada nacional minha, simplesmente?

Porque preciso que seja portuguesa? E ainda por cima portuguesa do norte?

É por causa da língua. A língua portuguesa tem em mim um efeito erótico, quando uma mulher me fala baixinho em português no ouvido deixa-me muito excitado. Enquanto fiquei casado com uma nacional minha sentia muito a falta da língua portuguesa na cama.

Tudo isto faz algum sentido?

Há línguas mais "eróticas" de outras?

E tu? Tens uma língua que te deixa esquisito? Qual?

Sou o único maluco no mundo que tem uma língua preferida para ser útilizada na cama ou então há outros desgraçados que têm o meu problema?

É preciso eu marcar urgentemente uma consulta com um psiquiatra?

Acham isto normal?

Vamos fazer uma associação de dependentes psicológicos da língua portuguesa para o amor?

És um cientista? Queres contactar comigo? Queres fazer uma pesquisa sobre a dependência da utilização duma língua especifica para o amor?

Agora eu sei que há imensos fetiches, as pessoas ficam taradas pelas coisas mais absurdas, e eu também gosto de fazer maluquices na cama como muitos, não tenho complexos e gosto dos jogos eróticos mais malucos, mas agora isso de depender tanto da utilização duma língua em particular para eu ficar mais excitado parece-me mesmo uma mania bastante exótica, até agora não tenho ouvido falar de outros desgraçados com esta mania, e queria saber se existem, ou se sou mesmo sozinho, caso desesperado no planeta...

Mas devem existir...poucos mas devem existir...

Sinto-me só! (psicologicamente só)

 


: psicologicamente só

publicado por Il Conte às 13:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Terça-feira, 22 de Julho de 2008
Terrorismo Psicologico : um email da Portuguesa numero 2

A 8 de Junho falei num post de três mulheres, uma Italiana, a primeira, uma Portuguesa, a segunda, e depois outra Portuguesa, a Portuguesa numero 2, a terceira mulher de que falei nesse post, cujo titulo é mesmo Três mulheres.

No Blackberry tenho um toque associado à Italiana, nenhum toque à Portuguesa numero 1, porque essa saiu para sempre da minha vida, e um toque, o toque do sonar (boooinng...boooiiinng...) associado à Portuguesa numero 2. Havia muitos meses que não ouvia esse sonar tocar, durante muitos meses tocava muitas vezes por dia, depois os caminhos separaram-se e esse sonar parou de tocar. Mas ontem à noite voltou a tocar, a Portuguesa numero 2 escreveu-me um email. Queria puder responder, queria escrever para ela, há muita coisa que lhe queria dizer, principalmente que morro de saudades dela, mas não posso, não lhe posso responder.

Às vezes sou muito duro comigo, obrigo-me a uma disciplina emocional, para me proteger, para não ficar magoado inutilmente pelas mulheres erradas (tipo: casadas, demasiado jovens, preguiçosas,comunistas,loiras, etc.), então tenho mil defesas para me proteger, é realmente difícil para uma mulher chegar perto de mim a nível psicológico, quando isso acontece, se a mulher para mim não é a certa, eu afasto-me, para não ficar demasiado apaixonado por mulheres que não me podiam fazer feliz.

Entre todas as mulheres que conheci, a Portuguesa numero 1 é a com a qual eu queria passar a maior parte do meu tempo, mas é uma mulher que provavelmente nunca mais vou ver , nunca mais vou saber dela, com a Portuguesa numero 2 eu queria realizar todas as minhas fantasias, com ela não era importante passar muito tempo, podia ser também pouco, mas seria de qualidade. A portuguesa numero 2 é a única que conseguiu chegar a ver no centro da minha alma, conseguiu chegar a ver todos os meus segredos, as minhas fraquezas, aceitando-me e gostando de mim na mesma. A Portuguesa numero 2 fez-me sonhar. É a que conseguiu seduzir-me mais. Conhecia os meus pontos fracos e sabia como aproveitar para me deixar louco dela. Nunca desejei uma mulher assim, dessa forma animal. Não posso responder a esse email, hei de resistir, hei de fingir que não é nada, ela voltará entre o nevoeiro donde saiu ,cedo voltarei ao sossego. Mas ontem à noite, quando ouvì o Blackberry a emitir o toque do sonar boooiiing.....boooiiinnng...não podia acreditar: ela! um email dela...

Abri...ela a informar que finalmente conseguiu utilizar uma coisa que lhe tinha oferecido como presente pelo último Natal, durante meses não tinha conseguido utilizar, mas finalmente conseguiu e então quis escrever para me avisar e voltar a agradecer por esse presente finalmente útil. Queria responder, queria explicar-lhe tanta coisa, dizer-lhe que a desejo, que ela, que eu...., eu para o mês vou a Portugal se Deus quiser, queria escrever-lhe a dizer-lhe que tal de passarmos umas horas malucas juntos, a fazer maluquices ?

 Aquele cumplicidade entre nos. Nunca experimentei com outras a cumplicidade que tive com a Portuguesa numero 2.

Mas hei de ser forte.

Isto passa por si.

Ontem consegui evitar de responder, e hoje também.

Acho que vou conseguir. Vou ser forte, não vou ceder à tentação. Ela é casada, não me podia fazer feliz, só me podia deixar louco com a sensualidade dela e mais nada. Doido.

Uma mulher atrevida.

Uma mulher bela e forte. E sexy.

Mas vou resistir-lhe.

Não vou responder. Vou procurar a mulher certa. Portuguesa, livre, sem maridos nem namorados, alta,magra,entre 35 e 40, morena e conservadora. Ou assim ou nada. Senão podia muito bem contentar-me com uma nacional minha.

Mas não. Quero-a assim e assim a vou procurar.

Contudo, ontem, quando chegou o email da Portuguesa numero 2, eu fiquei com aquele desejo dela, voltei a lembrar as pernas dela, a língua dela. Fiquei a desejar a saliva dela, o cheiro dela. Fiquei a pensar no corpo dela. Depois não resisti, e continuando com essas imagens sexy dela na minha cabeça acabei tocando-me.

Terrorismo psicológico o dela, a escrever-me um email depois de tanto tempo.

Hei de ficar atento, porque é um instante, ceder a uma tentação é assim fácil, a disciplina emocional é que é dura.

Será que faço bem a proteger-me tanto? Será que é mesmo preciso eu ser tão duro comigo?

Depois acabo na cama duma colega ou duma cliente para uma ginastica sem sentido, só para esquecer um bocado e relaxar-me.

Acho que hei de pensar melhor na minha vida.

Hei de ficar uns tempos sentado a pensar com calma.

Hei de acalmar-me um bocadinho, sim, há confusão emocional na minha vida.

Acho que é preciso eu encontrar uma mulher de bem, livre, com a qual começar outra vez.

Hei de parar logo de gastar tempo com mulheres que não são e nunca vão ser as mulheres ideais para mim.

Esta noite sinto-me cheio de confusão.


: cheio de confusão emotiva

publicado por Il Conte às 20:17
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Domingo, 20 de Julho de 2008
Roland Barthes

Pronto, fui para a livraria. Tenho agora dez euros a menos na carteira e um livro a mais em casa. E pensar que já tinha uma copia desse livro, ainda que esteja em L'Aquila, a 500 quilómetros daqui, tinha comprado esse livro há imenso tempo. Voltei a comprar,

Voltei a ler logo dois capítulos : " O Exílio do Imaginário" e " sou doido".

Esilio - Decidendo di rinunziare allo stato amoroso il soggetto si vede con tristezza esiliato dal proprio Immaginario (...) Il prezzo che si deve pagare è la morte dell' Immaginario contro la mia propria vita (...)

Sono pazzo - Il soggetto amoroso é colto dall'idea di essere o di diventare pazzo (doido).

Bem, tenho aqui o livrinho e vou ler umas coisinhas, de vez em quando, quando a maluquice apertar, quando não perceber, quando as saudades chegarem. Esse livro do Barthes é um bocado um guia das emoções do amor. O Barthes morreu há muito tempo, mas tudo isso fica sempre actual, da primeira vez que li isso, no inicio dos anos noventa, pensei que era tudo mesmo assim como ele dizia, e hoje, após uns quinze anos, que voltei a ler , pensei logo : pois é, comigo também é isso mesmo...

Estás apaixonado/a , sofrendo por causa do amor?

Essa é uma leitura que pode ser útil, vais continuar sofrendo, mas ao menos vais perceber o que te está acontecendo e vais olhar para a tua própria pessoa de forma distanciada, como se esse tal sujeito que anda a morrer de saudades seja outra pessoa e não tu, e tu simplesmente um cientista a observa-la...



publicado por Il Conte às 11:28
link do post | comentar | favorito
|

arquivos

Outubro 2010

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

recentes

Até dia 14 de Abril, se D...

Para a frente.

Mexericos e óptimismo, al...

O que será de nós?

Um beijo internacional

Indo eu indo eu a caminho...

E vissero tutti felici e ...

The secret

Terrorismo Psicologico : ...

Roland Barthes

Assuntos

a.o.i.

aborrecimento

acordo ortográfico

aktion t4

amizade

amor

anjo mudo

appena prima di partire

arquitectura fascista

asmara

beppino englaro

berlusconi

blackberry

blog

brasil

brasileiros

cacao meravigliao

camões

caprichos

carro

carros

cersaie

cesare battisti

chatice

codigo ladrões romenos

criminalidade

criminosos romenos

crise

democracia

desejo

dinheiro

direito à vida

duce

eluana

eluana englaro

emprego

emprego portuguesinho

eritreia

europa

europa de lepanto

eutanasia

ezra pound

fascismo

federico moccia

felicidade

ferias

flaminio maphia

forças armadas

fragmentos discurso amoroso

futebol

gratidão

hammarberg acorda!

hitler

ho voglia di te

homem estupido

humor

ilusões

imigração sem travões

italia

italia aos italianos

l'aquila

lula

luta à anarquia

luta à criminalidade estrangeira

maluquice

mara carfagna

mulher

mulheres

musica

musica italiana

nautica

officina del tempo

papagaios

perigo imigração

perigo imigrados

perigo romenos

ple

portugal

português língua estrangeira

problema criminalidade

problema romenos

problemas imigrados

racismo

relógios

relogios

rolex

romenos

saudade

saudades

segurança

sonhos

stronza

terrinha

tiziano ferro

trabalho

vida

violencia

violencia contra as mulheres

zero assoluto

todas as tags

links
feeds
pesquisar